Utilizando o lastro sem peso na consciência

O trator é a ferramenta mais importante para quase 100% das operações agrícolas. Apesar de itens como robustez, torque, potência e tecnologias embarcadas serem importantes, um dos fatores que faz toda a diferença no resultado final das operações é o lastro.

Se feito da maneira correta, o lastro pode contribuir para a redução da compactação de solo, refletindo diretamente numa melhor brotação da cana, aumentando o ciclo de cortes, além de reduzir o consumo de combustível e possibilitar aumento na velocidade de trabalho. Mas será que todos sabem fazê-lo corretamente?

O lastreamento deve obedecer a um equilíbrio na distribuição do peso adicionado ao trator, seja por lastro metálico/sólido ou água. Os lastros, em qualquer situação ou condição, tem como função adequar o peso do trator e distribuí-lo entre os eixos dianteiros e traseiros, em função do tipo de engate do conjunto trator e equipamento montado, semi-montado e de arrasto.

A distribuição de peso de forma incorreta afeta os níveis de patinagem, trazendo como consequências um desgaste excessivo dos pneus e componentes mecânicos, além de perda de força de tração, aumento de consumo de combustível e baixo rendimento. Sendo assim, a configuração do lastro tem grande importância na performance dos tratores, pois garante o melhor aproveitamento da transmissão de potência do trator ao solo, permitindo maior estabilidade e reduzindo o power hop (galope).

Lastro líquido ou metálico/sólido?

O lastro utilizado para ajuste dos tratores pode ser metálico ou líquido, independente da operação agrícola que se esteja fazendo. O mais importante do lastro dos conjuntos roda e pneu é, uma vez determinado o peso da operação e a pressão recomendada para esta operação, garantir o equilíbrio operacional adequado ao trator para evitar o power hop.

Ele defende que a lastração com água tem o benefício de ter custo mais baixo, ser mais rápido e fácil de realizar, além de garantir a possibilidade de graduar à vontade. Já a lastração com contrapesos deve ser feita apenas em trabalhos mais pesados e retirados assim que o trator voltar para uso em situações normais. No caso de lastro líquido em pneus diagonais, deve-se observar o máximo de 75% do volume do pneu para não eliminar suas propriedades de amortecimento e flexão. Já nos pneus radiais, a Pirelli recomenda que deve-se preencher até no máximo 40% do volume.

Hoje em dia as empresas têm lastrado os tratores com 75% de água (considerado o máximo) e completando o que for necessário com lastros sólidos para chegar no peso e distribuição ideais.

Ficou com alguma dúvida sobre a característica certa para os pneus do seu equipamento? Na Mademax Pneus você encontra todos os modelos e profissionais experiente que conhecem a fundo cada detalhe. Acesse www.mademaxpneus.com.br e fale com a gente.

Leave A Comment